DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO APÓS REPARAÇÃO DAS RUPTURAS DO MECANISMO EXTENSOR DO JOELHO

AUTORES:Carlos Francisco Arguello Frutos, Osmar Pedro Arbix Camargo, Nilson Roberto Severino, Ricardo de Paula Leite Cury, Victor Marques de Oliveira, Tatsuo Aihara, Roger Avakian

Objetivo: Avaliar os resultados obtidos com a realização da técnica de dispositivo de proteção nos pacientes submetidos à osteossíntese ou sutura de lesões do mecanismo extensor. Métodos: Foram avaliados 18 prontuários de pacientes que sofreram lesões traumáticas do aparelho extensor interessando a região entre a tuberosidade anterior da tíbia (TAT) e o ápice da patela submetido à técnica de dispositivo de proteção. A idade variou de 22 a 69 anos, com média de 44 anos. Houve predomínio do sexo masculino em 67 % dos casos. O local mais acometido em 83 % dos casos foi o 1/3 apical da patela. Foi elaborado um protocolo para coleta dos dados informativos relacionando os pacientes e a sua evolução obtida em seus prontuários. Resultados: Observamos a consolidação da fratura de patela em todos os 17 pacientes, e a cicatrização do ligamento patelar num único caso. A dor esteve presente em quatro pacientes, sendo que não observamos nenhuma outra complicação relacionada com a técnica cirúrgica. Conclusão: O dispositivo de proteção é eficiente quando aplicado no tratamento operatório das lesões que se localizam entre o ápice da patela e a TAT propiciando movimentação ativa e passiva no pós-operatório imediato.

Ler Artigo

 

ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA – CONCEITOS BÁSICOS, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO. Editora Roca, 2009. 

Autor do Capítulo 36 – Lesões e Alterações Osteomusculares na Prática Esportiva

 

Study to verify whether the MPFL with different measurements could be considered as predisposing factor for patellar dislocation.

 

 

Double-bundle PCL reconstruction using autogenous quadriceps tendon and semitendinous graft: Surgical technique with 2-year follow-up clinical results

 

 

A luxação aguda da patela representa cerca de 2% a 3% de todas as lesões de joelho sendo a segunda causa de hemartrose traumática do joelho.

 

 

Protocolo de reabilitação para as reconstruções isoladas do ligamento cruzado posterior

 

 

Artroplastia Total do Joelho com o Apoio Tibial Móvel. Avaliação dos Resultados a Médio Prazo

 

 

Reconstrução do ligamento cruzado posterior com enxerto autólogo do tendão do músculo semitendinoso duplo e do terço médio do tendão do quadríceps em duplo túnel no fêmur e único na tíbia: resultados clínicos em dois anos de seguimento

 

 

Comparação entre a ressonância magnética e a artroscopia no diagnóstico das lesões do joelho.

 

 

Realinhamento do aparelho extensor na luxação patelofemoral recidivante

 

 

Osteotomia supracondiliana femoral no tratamento da deformidade em valgo do joelho

 

 

Utilização do parafuso

 

 

Resultado a médio prazo da reconstrução da lesão crônica do ligamento cruzado anterior com prótese de poliéster

 

 

Osteotomia tibial alta em pacientes com artrose do joelho

 

 

Consolidação da osteotomia valgizante proximal da tíbia com cunha de abertura fixada com placa

 

 

Estudo anatômico da inserção dos músculos grácil e semitendíneo

 

 

Osteotomia tibial alta – fixação com duplo amarrilho em oito

 

 

Transplante homólogo de menisco: estudo experimental em coelhos

 

 

Fratura da patela associada à ruptura do tendão patelar como complicação da reconstrução intra-articular artroscópica com tendão patelar

 

 

Dispositivo de Proteção após Reparação das Rupturas do Mecanismo Extensor do Joelho

 

 

A new fixation material for open-wedge tibial osteotomy for genu varum